3º DOMINGO DA PÁSCOA - 14 Abr 2013

Webnode
06/02/2013 17:28

 

TERCEIRO DOMINGO DA PÁSCOA C – 14 Abr 2013

 
Subsídios para a preparação do comentário
 
Revista de Liturgia Nr 218
Aprofundando os textos 
O evangelho destaca que a presença de Jesus ressuscitado guia e sustenta a vida e a ação das comunidades cristãs. As image4ns da pesca e do pastoreio estão ligadas à missão dos discípulos/as. Só é possível pescar/produzir frutos permanecendo unidos a Jesus. Por iniciativa de Pedro, todos embarcaram para a pesca, mas não pescaram nada naquela noite. A presença do ressuscitado torna a missão fecunda. A enorme quantidade de peixes é o sinal que leva ao reconhecimento do ressuscitado: É o Senhor!
Como líder da comunidade, Pedro arrasta a rede, cheia de cento e cinquenta e três grandes peixes. Esse número simboliza o sucesso da missão e seu caráter universal, sua abertura para acolher todos os povos.  A 1ª leitura mostra as dificuldades enfrentadas na difusão do evangelho. Os discípulos sofrem por causa do nome de Jesus. Na 2ª leitura, a força do ressuscitado sustenta a missão das comunidades cristãs. Os que seguem o caminho trilhado por Cristo, o Cordeiro imolado, proclamam o poder, a riqueza, a sabedoria, a força, a honra, a glória e o louvor. Mediante essas sete expressões de louvor e adoração, eles glorificam o Senhor pela obra redentora realizada em favor da humanidade.
 
Atualizando
O Senhor continua presente orientando a nossa vida e missão com a sua palavra. Movidos pela força do Espírito, possamos reconhecer os sinais da vida nova do ressuscitado. Como discípulos/as de Jesus, sejamos testemunhas proféticas do evangelho, continuando o projeto de amor e solidariedade.
 
A palavra de Deus na celebração
Elevamos também nós o louvor, a honra, a glória e o poder ao Cordeiro Pascal que permanece para sempre nomeio de nós. Com ele nos sentamos à sua mesa para partilharmos a sua Ceia pascal, participando assim, plenamente, da vida nova que irrompeu de sua Páscoa. Que Ele nos ajude a sermos disponíveis em servir com liberdade e alegria.
 
Revista de Liturgia Nr 200
A pesca não dera certa na hora e como os discípulos queriam, mas foi pesca abundante quando e como Jesus ordenou.
A pesca é símbolo da missão dos discípulos e do crescimento da comunidade, fiel a Jesus. 
A Igreja, quando vive no Amor e no Espírito de Jesus é unidade que não se rompe. Além disso, deve ser dirigida pela fé, pelo amor e pelo serviço generoso que leva ao encontro do único chefe, Jesus Ressuscitado. Participamos da refeição em que Ele se faz Pão da Vida e nos convida a segui-lo com nova disposição, animados pela humilde profissão de Pedro. Suplicamos que Ele abra nossos olhos para reconhecer sua presença amorosa em nossas lutas, cansativos trabalhos e mesmo nos fracassos de nossa missão.
 
Dia do Senhor – Ciclo Pascal ABC
Domingo da aparição de Jesus às margens do mar. O Senhor se manifesta ressuscitado no mar e no trabalho. 
Celebramos a páscoa de Jesus Cristo que se manifesta em todas as pessoas e grupos que promovem a partilha e ajudam a criar laços de comunhão.
 
Liturgia Diária Nr 228
Nesta eucaristia, devemos responder à pergunta de Jesus: Vocês me amam? Reunidos em torno do Cordeiro imolado que ressuscitou, apresentamos nossa gratidão, pois ele nos alimenta com a palavra e com o pão.
A palavra de Deus anima os seguidores de Jesus, dá-nos coragem para enfrentar os obstáculos e nos convida a acolher o Cristo, que se oferece em comunhão.
 
 
CNBB – Roteiros Homiléticos – Tempo Pascal C
Celebramos neste domingo, o 3º da Páscoa, a aparição de Jesus ressuscitado, às margens do mar da Galileia e no trabalho sem êxito dos discípulos, após noite escura e “redes vazias”.
Só a presença e a palavra do ressuscitado tornam possíveis uma pesca abundante e a partilha alegre, numa refeição com pão e peixe que Ele mesmo oferece aos discípulos, já cansados do insucesso.
Celebramos a páscoa de Jesus que hoje acontece também nas pessoas, grupos e comunidades, que ajudam a criar laços de comunhão e solidariedade.
Nesta celebração o Senhor nos convida para a refeição, em que Ele se dá como Pão da Vida e nos faz retomar o caminho com ele, com nova disposição. Que nossos olhos se abram para percebermos sua presença amorosa em nossas lutas, cansativos trabalhos e aparentes fracassos, nos permitindo repetir com nossa vida e missão, a confissão de Pedro: ‘Senhor, tu sabes que eu te amo.” 
 
CNBB – Roteiros Homiléticos – Tempo Pascal C
Celebramos o domingo da pesca abundante. O Cristo ressuscitado continua caminhando conosco. Quando ele fala, as coisas acontecem. A liturgia deste domingo recorda-nos de que a comunidade cristã tem por missão testemunhar e concretizar o projeto que Jesus iniciou. Sem a presença de Cristo, nada acontece. Podemos nos esforçar muito e dedicar todas as horas do dia ao esforço de mudar o mundo, mas, se Cristo não estiver presente, se não escutarmos sua voz, se não ouvirmos as suas propostas, se não estivermos atentos à Palavra que ele continuamente nos dirige, os nossos esforços não terão êxito. É preciso ter consciência nítida de que o êxito da missão cristã não depende do esforço humano, mas da presença viva do Senhor Jesus.
 
 
Modelo

 Domingo da Páscoa do Senhor - 14 Abr 2013

Domingo da aparição de Jesus às margens do mar

Diácono Sérgio Ferreira de Almeida
 
Monição
O que você responderia se Jesus lhe perguntasse: Você me ama?
Celebramos a páscoa de Jesus que hoje acontece também nas pessoas, grupos e comunidades, que ajudam a criar laços de comunhão e solidariedade.
Nesta celebração o Senhor nos convida para a refeição, em que Ele se dá como Pão da vida e nos faz retomar o caminho com Ele, com nova disposição.  Que nossos olhos se abram para percebermos sua presença amorosa em nossas lutas, cansativos trabalhos e aparentes fracassos, nos permitindo repetir com nossa vida e missão, a confissão de Pedro: “Senhor, tu sabes que eu te amo.”
 
Preces
 
PR – Vivendo a alegria da Ressurreição, elevemos com confiança nossos pedidos ao Pai, para que ouvindo o que pedimos, nos conceda o que mais precisamos. Rezemos juntos:
 
R: Caminha conosco Senhor.
 
01- Pela Igreja, para que fortalecida pelo pão da palavra e da eucaristia, realize com amor a vontade do Pai celeste, rezemos ao Senhor! 
 
02. Pelos ministros ordenados e leigos de nossa arquidiocese, para que iluminados pelo Espírito Santo, jamais desanimem diante das dificuldades, rezemos ao Senhor.
 
03- Pelos movimentos e pastorais da nossa comunidade, para que tenham mais humildade e perseverança nas suas tarefas como povo de Deus reunido. Rezemos ao Senhor!  
 
04. Para que no nosso dia-a-dia tenhamos força e coragem para afirmar como Pedro: Senhor, tu sabes que eu te amo, rezemos ao Senhor.
 
05. Pelos nossos irmãos e irmãs que já partiram dessa vida. Que o Senhor conceda a graça do descanso eterno àqueles que, durante esta vida caminharam ao seu lado, nós vos pedimos:
 
PR – Pai bondoso que nunca nos abandonais no caminho da vida, acolhei as súplicas que vossa família vos eleva. Concedei as graças que mais necessitamos para sermos verdadeiros discípulos missionários de teu Filho, que convosco vive e reina na unidade do Espírito Santo. Amém.