7º Domingo do Tempo Comum - 23 Fev 2014

Webnode
03/12/2013 18:41

7º DOMINGO DO TEMPO COMUM A – 23 FEV 2014

Domingo do amor aos inimigos e da santidade do Pai

 

Subsídios para a preparação do comentário

 

Revista de Liturgia nr 223

No evangelho, Jesus lembra a lei da retribuição equitativa: Olho por olho, dente por dente, para propor uma nova justiça. Mostra que a forço do amor solidário é capaz de interromper toda forma de violência. Indica ações capazes de afirmar a dignidade e a igualdade, não a submissão passiva diante de situações opressoras. Manifesta também solidariedade ao necessitado, ao pobre, que chega a penhorar até o próprio manto. Jesus, com palavras e ações misericordiosas, revela a plenitude da Lei. Evocando a Lei da Santidade ele se apresenta a regra fundamental: Sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito. A imitação de Deus, na sua perfeição ou santidade, concretiza-se no amor manifestado também ao inimigo. Trata-se de um amor gratuito e desinteressado, que supera a restrição à religião e à raça. Deste modo vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus. O amor sem distinção possibilita fazer a experiência de filhos, reproduzindo na terra a bondade do Pai celeste, que faz nascer o seu sol sobre maus e bons e faz cair a chuva sobre justos e injustos. O amor leva a superar o espírito de hostilidade, a vingança, o ódio e o rancor, para construir a fraternidade. O salmo convida a bendizer o Senhor porque ele é misericordioso e compassivo, em consequência de sua aliança. A 2ª leitura destaca que pertencemos a Cristo e Cristo é de Deus. Mediante sua vida, morte e ressurreição, Jesus Cristo tornou-se o fundamento sobre o qual é construído o novo templo de Deus. A presença do Espírito de Deus santifica e mantém unida a comunidade eclesial.

 

Atualizando

Deus Pai nos oferece o sol de sua bondade par que possamos construir um mundo novo, onde reina o amor fraterno e o perdão. Como discípulos/as de Cristo, somos chamados a manifestar em nossa vida a perfeição de Deus expressa no amor a toda a humanidade.

 

A palavra de Deus na celebração

O Senhor que é favorável, indulgente, paciente, bondoso e compassivo, nos convoca para experimentar o seu jeito de ser. Na celebração, participamos de um grande ato de amor de Deus: Ele entrega o seu próprio Filho para nos libertar do pecado e da morte.

 

Dia do Senhor – Tempo comum

Domingo do amor aos inimigos e da santidade do Pai – Acolhendo a palavra que o Senhor dirige aos seus discípulos no alto da montanha, somos chamados a amar os nossos inimigos e a ser santos como o Pai do céu é santo.

Celebramos a páscoa de Jesus Cristo que se manifesta na luta de todas as pessoas e grupos que testemunham um amor e um perdão sem limites para com todos e comprometem-se com a causa da justiça.

 

Liturgia Diária nr 230

É nosso dever concentrar todas as energias na busca do reino de Deus, pois tudo o mais nos vem por acréscimo. Na eucaristia, sentimos que nosso Deus nãonos abandona nem nos esquece mas demonstra a cada um amor infinito. Portanto, depositamos nele nossa confiança.

Deus é como pai e a mãe preocupados com seus filhos e filhas: nele podemos e devemos confiar, enquanto procuramos concretizar seu reino como servidores e administradores do seu projeto de salvação.

 

Modelo

7º DOMINGO DO TEMPO COMUM A

Domingo do amor aos inimigos e da santidade do Pai

Diácono Sérgio Ferreira de Almeida

 

COMENTÁRIO

Hoje a Palavra do Senhor nos convida a amar a todos, sem nenhuma discriminação. Isso conseguiremos colocando em prática o mandamento do amor.

A nossa ação de graças deve ser um sinal do nosso amor aberto a todas as pessoas, sobretudo as mais próximas e mais necessitadas.

Somente assim, seremos perfeitos como o Pai Celeste é perfeito.

 

PRECES

PR – Como discípulos-missionários somos convidados a imitar os gestos de Jesus. Peçamos que o Espírito de Jesus penetre nosso ser e nos ajude a amar como Ele nos amou. Digamos a cada prece: PAI SANTO, FAZEI-NOS VIVER NO AMOR.

 

1. Por todas as Igrejas cristãs, para que o mandamento do amor seja mais forte do que os conflitos e nos conduza à reconciliação, peçamos ao Senhor.

 

2. Pela Sociedade, para que busque a paz através do perdão e da colaboração entre as pessoas, peçamos ao Senhor.

 

3. Para que cessem as guerras, sejam superadas as divisões e discórdias e o mundo se torne um lugar onde o Reinado de Deus nos faça todos irmãos, peçamos ao Senhor.

 

4. Por todas as religiões, para que lutem juntas contra o ódio, a injustiça e a vingança e eduquem seus membros em atitude de paz, de amor e de defesa da vida humana, peçamos ao Senhor.

 

5. Para que as famílias de nossa comunidade sintam a presença de Deus em seus lares e saibam resolver os conflitos com diálogo e compreensão, peçamos ao Senhor.

 

PR – Ó Deus, dai-nos viver sempre conforme vossa vontade, na prática do bem e da caridade para com os irmãos.

Arranca de nós toda violência e torna-nos misericordiosos, à tua imagem e semelhança. Por Cristo, nosso Senhor.

 

AS - Amém.

Webnode