BATISMO DO SENHOR, FESTA - 13 JAN 2013

Webnode
29/11/2012 16:15

 

DOMINGO DO BATISMO DO SENHOR

 
CNBB – Roteiros Homiléticos – Advento e Natal 2012.
Finalizando o tempo de Natal e entrando no tempo comum do ano litúrgico, recordamos neste domingo o dia em que Jesus foi batizado no Jordão, revelando para nós, outro aspecto de sua encarnação, de sua epifania: a manifestação pública de sua adesão ao Pai e a missão que lhe foi confiada, como Filho amado e fiel.
Este fato contém todo o itinerário que Jesus deverá percorrer, como Servo, como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Expressa toda sua “simpatia”, sua disposição de mergulhar, assumindo profundamente nossa humanidade, num inacreditável ato de solidariedade que o leva até a cruz. É o sinal profético da arrancada final em direção à Páscoa.
Ao celebrar o batismo de Jesus, prefigurativo do Batismo cristão, poderemos recordar o Batismo que recebemos, que nos fez seguidores de Jesus e participantes de sua missão.
Mergulhados nas águas que comunicam o Espírito, revivemos hoje nossa consagração batismal, pela qual fomos incorporados a Cristo “para sermos interiormente transformados por Ele”, é o que pedimos na oração do dia.
Como povo sacerdotal, assembleia de batizados, proclamamos pela eucaristia, as maravilhas daquele que nos chamou das trevas à sua luz e aceitamos ser mergulhados com Cristo no mistério de sua entrega filial ao Pai.
Acolhemos em oração, o Espírito que nos é entregue e, na voz do Pai, recebemos a confirmação de sermos seus filhos amados com a missão dês ser luz para as nações e alegres anunciadores da boa-nova do Reino.
Celebrando a Eucaristia, vivemos o núcleo da vida batismal, entrando em comunhão com Deus, com os irmãos, com o cosmos, dando sentido pascal à vida. Ouvindo Jesus, o Filho amado, prolongamos no mundo sua missão, de serviço à justiça com suavidade e mansidão, “fazendo o bem e curando a todos” para que todos vivam de fato, como filhos amados de Deus, concluímos na oração após a comunhão.
 
Revista de Liturgia – Janeiro/Fevereiro 2007
O batismo de Jesus é sua 2ª epifania aos judeus e à comunidade dos cristãos. Jesus se faz batizar como um pecador comum. Ele se incorpora ao povo, mas dá novo sentido ao rito batismal; o que era sinal de arrependimento, para Jesus é plenitude de justiça, início da sua missão. No texto do Evangelho, o testemunho do céu revela uma estrutura trinitária: voz do Pai, descida do Espírito e título de Filho.
A Palavra de Deus no batismo de Jesus lembra o Servo que animou o povo exilado na Babilônia. No salmo 29, aparece 7 vezes a expressão “voz de Iahweh”; ela se revela totalmente em Jesus Cristo.
 
Atualizando
Jesus é o Servo, por Excelência, o Filho bem-amado. Sobre Ele repousa o “dinamismo” de Deus; tudo o que Ele faz é obra que Deus deseja; Ele é realizador do projeto de Deus. Sem aceitar privilégios, Jesus quer ser solidário com os pecadores. O batismo de Jesus é despojamento de sua grandeza de Filho de Deus. O batismo cristão é participação no batismo de Cristo e na sua missão como Servo Amado de Deus, no Espírito. Ser batizado é tornar-se Servo com Cristo para estar a serviço da humanidade.
 
A Palavra de Deus na celebração
Mergulhados nas águas portadoras do Espírito, revivemos hoje nossa consagração batismal e como filhos(as) amados(as) do Pai somos confirmados na missão de ser luz das nações e anunciadores da boa-nova do Reino. Como povo sacerdotal, proclamamos pela eucaristia as maravilhas daquele que nos chamou das trevas à sua luz e aceitamos ser mergulhados com Ele no mistério de sua filial entrega ao Pai.
 
 
Dia do Senhor – Ciclo de Natal ABC
Domingo do Batismo do Senhor.
Encerrando o tempo de Natal, recordamos o dia em que Jesus foi batizado e manifestou publicamente a sua adesão ao Pai e à missão que lhe foi confiada. Fazendo memória do batismo do Senhor, renovamos o nosso batismo e nos propomos a um maior engajamento na missão.
Celebramos a Páscoa de Jesus Cristo que acontece em todas as pessoas e grupos que, ultrapassando os seus próprios limites, continuam hoje a missão de Jesus entre os pobres e pequenos.
Batizado o Senhor, os céus se abriram e o Espírito pairou sobre ele sob a forma de pomba. E a voz do Pai se fez ouvir: “Este é o meu Filho amado; nele está todo o meu amor!”
 
Missal da Assembleia cristã
À margem do rio Jordão, João Batista prega a conversão dos pecados como meio para se receber o reino de Deus que está próximo. Jesus entra na água, como todo o povo, para ser batizado. Para os judeus, o batismo era um rito penitencial; por isso, aproximavam-se dele confessando seus pecados. Entretanto, o que Jesus recebe não é só um batismo de penitência; a manifestação do Pai e do Espírito Santo dão-lhe um significado precioso. Jesus é proclamado “filho bem-amado” e sobre ele desce o Espírito que o investe da missão de profeta (anúncio da mensagem da salvação), sacerdote (o único sacrifício agradável ao Pai), rei (messias esperado como salvador).
Cristo é o “Filho bem-amado” que oferece o único sacrifício agradável ao Pai; Cristo, que “sai da água” é o novo povo libertado, e a libertação é definitiva; o Espírito não só desce sobre Cristo, mas permanece sobre ele. O Espírito, que depois do pecado não tinha mais morada permanente entre os homens, agora permanece para sempre em Cristo e na Igreja que é seu complemento.
 
Liturgia Diária – Janeiro 2013.
Concluindo as celebrações natalinas, reunimo-nos para festejar o Batismo de Jesus. Embora não precisasse ser batizado, o Senhor quis se solidarizar com todo o povo que buscava o batismo de João. Esta liturgia é momento favorável para relembrarmos e renovarmos nossos compromissos batismais.
As leituras nos revelam o servo de Deus, fortalecido pelo Espírito e enviado para proclamar a boa-nova da paz. Pelo batismo também nós recebemos o Espírito que nos anima na missão e nos dá força para perseverar no bem.
 
Modelo
FESTA DO BATISMO DO SENHOR
Diácono Sérgio Ferreira de Almeida
 
Encerrando o tempo do Natal, recordamos o dia em que Jesus foi batizado e manifestou publicamente a sua adesão ao Pai e à missão que lhe foi confiada, como Filho amado e fiel.
Jesus se faz batizar como um pecador comum. Ele se incorpora ao povo, mas dá novo sentido ao rito batismal; o que era sinal de arrependimento, para Jesus é plenitude de justiça, início da sua missão. No texto do Evangelho, o testemunho do céu revela uma estrutura trinitária: voz do Pai, descida do Espírito e título de Filho.
Jesus é o Servo, por Excelência, o Filho bem-amado. Sobre Ele repousa o “dinamismo” de Deus. O batismo cristão é participação no batismo de Cristo e na sua missão como Servo Amado de Deus, no Espírito. Ser batizado é tornar-se Servo com Cristo para estar a serviço da humanidade.
 
Preces
 
PR – Recordando o batismo de Jesus, roguemos a Ele pela humanidade, cantando: Ouve-nos, amado, Senhor Jesus.
 
1. Cristo, servo de Deus, em quem o Pai põe o seu agrado, envia sobre as comunidades eclesiais o seu espírito, para que animadas, reconheçam sua missão de anunciar aos pobres a libertação, a justiça, a dignidade de filhos de Deus. Cantemos.
 
2. Cristo, eleito de Deus, infundi no coração dos que foram batizados na infância e se afastaram de vós, o vosso amor para que redescubram, com alegria, o significado de seu batismo como dom do amor de Deus, que deles exige uma resposta livre e pessoal. Cantemos.
 
3. Cristo, Filho bem-amado do Pai, iluminai os pais e padrinhos que neste ano apresentarão seus filhos e afilhados para o sacramento do Batismo. Que eles estejam conscientes da responsabilidade que assumem e ajudem seus filhos e afilhados a crescer na fé e na graça de Deus. Cantemos.
 
4. Cristo, nossa esperança, recebei no vosso reino os nossos irmãos e irmãs falecidos. Cantemos.
 
PR – Ó Deus, este é o dia em que teu Filho foi batizado no rio Jordão. Fomos mergulhados junto com Ele nas águas da nova aliança. Reaviva em nós, pelo teu Espírito, a alegria e o vigor da vida nova que recebemos no batismo. Por Cristo, nosso Senhor. Amém! (ODC)
 
Webnode