QUARTO DOMINGO DO ADVENTO C

Webnode
31/10/2012 14:22

 

QUARTO DOMINGO DO ADVENTO C
 
(MISSAL DA ASSEMBLEIA CRISTÃ)
JESUS, FILHO DE MARIA. Ao tornar-se “filho de Maria”, o filho do Altíssimo quer fazer-se preceder e anunciar pelos pobres e humildes: quer cercar-se de simplicidade e verdade. Belém é a menor entre as cidades de Judá, que terá a honra de dar o Messias prometido pelos profetas, aquele que estenderá seu reino de paz até “os extremos confins da terra”.
Humildes e pastoris são também as origens de Davi. O futuro Messias é apresentado mais como o descendente do Davi pastor de Belém, do que do Davi glorioso da cidade real. Humildes e pobres são os primeiros portadores da esperança e da salvação. Assim é Maria para com Isabel. Com a mesma humildade e pobreza, Isabel, iluminada pelo Espírito santo, reconhece em Maria a mãe do Salvador, e proclama o mistério que nela se realizou. E Maria, prorrompendo no canto do Magníficat, pelas grandes coisas nela operadas e pela graça concedida à sua parenta, diz: O Senhor “olhou a humildade de sua serva”.
O evangelho que narra o nascimento do Batista e de Cristo tem como protagonista Maria, definida como mãe do Senhor. É para ela a primeira bem-aventurança evangélica: “Bem-Aventurada aquela que acreditou que se cumpririam as palavras do Senhor”. Pela fé de Abraão começa a obra da salvação; pela fé de Maria, o definitivo cumprimento dela. Através de Maria, Jesus aparece como o Messias, uma vez que sua presença infunde o espírito e com ele a alegria.
Que esta eucaristia torne também a nós, uma oferenda viva e espiritual, e estejamos disponíveis, como Maria, a levar aos outros o Cristo que vive em nós.
 
(REVISTA DE LITURGIA – NOV/DEZ 2012.)
- Aprofundando os textos bíblicos: Maria dirige-se apressadamente à região montanhosa da Judeia para visitar e servir Isabel. O encontro das duas mães agraciadas por Deus coincide com o encontro do precursor e Jesus. João, chamado por Deus desde o ventre materno, exulta de alegria diante do Salvador. A alegria do precursor sinaliza o cumprimento da promessa de Deus em Jesus, o Messias. A força do Espírito capacita Isabel a bendizer o Senhor, com palavras que recordam a libertação do povo: Bendita és tu entre as mulheres e Bendito é o fruto do teu ventre. Maria é bendita entre todas as mulheres, porque carrega dentro de si o Filho de Deus. Ela se torna como a arca da aliança, portadora da presença do Senhor para o povo.
Maria é bem-aventurada porque crê e acolhe a vontade de Deus: Feliz aquela que acreditou, pois o que lhe foi dito da parte do Senhor será cumprido.  Ela é feliz porque acredita na força eficaz da Palavra e coloca-se nas mãos do Senhor como serva fiel. Segundo Miqueias (1ª leitura) a promessa de salvação vem da pequena Belém, através de um novo rei messiânico. Essa profecia se realiza plenamente no nascimento de Jesus.
 
- Atualizando: Deus manifesta a salvação no meio dos pobres e excluídos como Maria, Isabel, Zacarias, João, que exultam de alegrai e gratidão. É da pequena Belém que resplandece a luz para toda a humanidade. Com Jesus, possamos dizer ao Pai: estamos aqui para fazer a vossa vontade.
 
A palavra de Deus na celebração: Abra-se a terra e brote o Salvador! Este é o nosso grande anseio às vésperas da celebração da encarnação de Deus em nossa história. Inspirados pelo Espírito, proclamemos a ação de graças pela realização das promessas de Deus, fazendo de nossa vida uma oferenda viva e espiritual.
 
(DIA DO SENHOR)
Domingo da mulher grávida. Lembrando a espera de Maria, preparemo-nos para a novidade de Deus que chega para nós neste Natal. Bendigamos o Pai pela manifestação do seu Filho em nossa carne, fazendo com que toda a humanidade entre no dinamismo do seu amor e da sua fidelidade.
Celebramos a Páscoa de Jesus Cristo que acontece em todas as pessoas, grupos e situações que se engravidam de sua Palavra e geram o novo entre nós.
Nesta celebração, ao mesmo tempo que somos portadores do Verbo como Maria, somos chamados a exultar de alegria como João, e, inspirados pelo Espírito Santo, tal como Isabel, a proclamar Maria como portadora da bem-aventurança daqueles que acreditaram. É este acolhimento do dom do Espírito e de sua alegria, na simplicidade daqueles que não confiam em mais nada senão na ação do Deus Salvador, que nos insere na caminhada da salvação e nos prepara para o novo Natal de Jesus Cristo.
 
(CNBB – ROTEIROS HOMILÉTICOS – TEMPO DO ADVENTO 2010).
Nesta celebração, somos visitados pela presença amorosa do Senhor que nos faz exaltar de alegria pela salvação.
A Palavra reacende em nós o desejo de ajustar nossos projetos ao projeto de Deus.
Exultamos de alegria, reconhecendo a semente bendita da compaixão de Deus presente n[em nossa vida, na luta dos pequenos, e na condução de nossa história.
Por isso, em ação de graças, expressamos comunitariamente nossa adesão ao Senhor. A exemplo de Maria, apresentemos amorosamente ao Pai nossos corpos, nossa vida, nossos sonhos, como oferenda espiritual, a serviço da salvação.
Ao comungar, recebemos o alimento que nos fortalece para “prepararmos com maior empenho os caminhos para o novo natal do Senhor”, pedimos na oração depois da comunhão.
 
(CNBB – ROTEIROS HOMILÉTICOS – TEMPO DO ADVENTO 2006).
Situando-nos: Estamos pertinho do Natal! Quarto domingo do Advento. Que bom estarmos aqui reunidos neste clima de véspera do Natal! E com quem especialmente nos reunimos? Com Maria, a “mãe do meu Senhor”, como ouvimos da boca de Isabel! Com Maria, escutamos a Palavra. Com Maria, celebramos a eucaristia: memória da Páscoa de Jesus que deu sentido pleno ao Natal. Se não fosse a Páscoa, o Natal não seria o que é: tão importante para nós. Nem mesmo Maria seria o que é: tão importante para a humanidade como mãe do Salvador e nossa mãe.
 
Neste quarto domingo do Advento, vivemos este grande mistério: a Igreja está grávida de Cristo. Está para dar à luz Jesus, no hoje do nosso tempo: Deus vem morar entre os empobrecidos; encarnar-se neles para salvá-los.
Para que isso aconteça, basta que nos coloquemos na atitude de Maria: “Eis aqui a serva do Senhor! Faça-se em mim segundo a tua palavra”. Ou na atitude de Cristo, quando entrou no mundo: “Eu vim, ó Deus, para fazer a tua vontade”. Graças a esta vontade é que somos santificados pela oferenda do corpo de Jesus Cristo, realizada uma vez por todos, a exemplo de Maria.
Em cada eucaristia tornamo-nos, em Cristo, corpo dado, dispostos a colocar-nos a serviço dos necessitados, a exemplo de Maria.
Por Maria, o Senhor nos visita, trazendo a salvação. Motivo de alegria e de ação de graças! Cabe a nós visitar os necessitados, levando em nós o Cristo, para que também eles exultem de alegria no Senhor. Felizes de nós se acreditarmos!
 
 
(LITURGIA DIÁRIA – DEZ 2010)
Irmãos(ãs), temos a alegria de celebrar a vinda de Deus – no passado, no presente e no futuro – até que ele seja tudo em todos. Bendigamos o Pai pela manifestação do seu Filho no seio de Maria. Reunimo-nos para nos tornar “grávidos” da palavra de Deus e, assim, poder gerar o mundo novo.
 
As promessas do Senhor reveladas por meio dos profetas se cumprem pela ação do Espírito Santo. Deus garante a continuidade da dinastia de Davi com o envio do Emanuel: Deus conosco.
 
(LITURGIA DIÁRIA – DEZ 2012)
Graças ao sim de Maria, estamos reunidos para celebrar a eucaristia, memorial da paixão, morte e ressurreição do Senhor. De modo muito especial nesta liturgia, acompanhemos os passos da mãe de Jesus: ela, a bendita entre as mulheres, se dirige solidária e apressadamente a Isabel para saudá-la e auxiliá-la.
 
Aquele que aguardamos e nos santifica vem até nós e nos traz a paz. Maria soube acolhê-lo em seu seio e o ofertou à humanidade para que esta se alegre com o dom da salvação.
 
 

Modelo 1

4º DOMINGO DO ADVENTO C

Domingo da mulher grávida

Diácono Sérgio Ferreira de Almeida
 
COMENTÁRIO
Na alegria de celebrar a vinda de Deus no passado, no presente e no futuro, bendigamos o Pai pela manifestação do seu Filho no seio de Maria.
No quarto domingo do Advento, lembrando a espera de Maria e José, bendizemos o Pai pela manifestação de seu Filho em nossa carne. 
O Emanuel, o Deus conosco, vem nos livrar do pecado e da morte e nos introduzir no seu Reino de Vida e de Liberdade.
 
(Antes do Ato Penitencial)
 
Ao acender a 4ª vela do Advento
 
Refrão: Ó luz do Senhor, 
            que vem sobre a terra
            Clareia o universo, 
            com seu esplendor.
 
(uma pessoa da comunidade entra pelo corredor central trazendo uma vela acesa. Pára junto à coroa) – usar vela da crisma, enfeitada.
 
Padre: Oremos:
Senhor, a luz habita entre nós como o fez um dia, graças a uma mulher simples que ouviu a tua Palavra e que confiou plenamente no teu projeto de salvação. O Natal está tão perto que quase o podemos tocar. A esperança está tão madura que é quase uma realidade. É aí, Senhor, entre a realidade e a esperança que queremos por os nossos corações como Maria. Que tu os enchas de luz. Luz que reflete a tua presença no mundo. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
 
A pessoa que transporta a vela, acende a segunda vela do Advento enquanto se canta o refrão: Deixa a luz do céu entrar...
 
PRECES
 
Padre: Deus é fiel e nos envia seu Filho nascido de Maria. Com alegria, apresentemos a Ele nossas preces, cantando: Ó Senhor, escuta a nossa prece!
 
1. Pelos bispos, padres e diáconos, para que o Natal os torne novas criaturas, rezemos.
 
2. Pela humanidade, para que creia em Jesus, sinal definitivo do amor de Deus, rezemos.
 
3. Pelos que resistem a Cristo, para que o nosso testemunho os leve a aceitá-lo, rezemos.
 
4. Pelos que passam por provações para que busquem força e consolo no Senhor, rezemos.
 
5. Pelas mães grávidas, para que acolham com alegria o dom da vida dos que vão nascer, rezemos.
 
Padre: Senhor Jesus Cristo, escutai nossas súplicas e, por intercessão de Maria e José, concedei-nos a graça de seguir-vos fielmente. Vós que viveis e reinais para sempre. Amém.
 
Sugestão de oração sobre as mães gestantes. (CNBB – Roteiro Homiléticos para o Tempo do Advento 2010).
 
(Antes da Bênção Final)
 
PRES – Ó Deus, ternura de paz, nós vos contemplamos na gravidez de Maria e na gravidez destas nossas irmãs. Daí saúde a estas crianças que estão para nascer e tranquilidade às suas mães. Elas nos ajudam a esperar, com toda a criação que geme e sofre em dores de parto, a libertação e a adoção de filhos e filhas de Deus. Bendito sejais pela alegria da vinda de Jesus Cristo, nosso Salvador. T – Amém.
 
(Estendendo as mãos sobre as mães, reza)
 
PRES – O Deus, defensor da vida, confirme estas mulheres na fé e na missão de acalentar a vida que está para nascer. T - Amém
 
PRES – Que elas acompanhem sempre essas novas vidas com o seu amor maternal. T – Amém.
 
Segue-se a bênção para todos.

 

Modelo 2

4º DOMINGO DO ADVENTO C

Diácono Sérgio Ferreira de Almeida

(Colaboração Eduardo Missio)

 
COMENTÁRIO 
O Senhor Jesus vem ao nosso encontro, mas ele não vem sozinho: é nos braços da Virgem Mãe que iremos adorá-lo. Maria é exemplo de serva fiel à vontade do Pai. Mostra-nos como receber e aceitar, sem medo ou dúvidas, a missão de Deus. Ela acolhe o Messias em seu ventre como gesto de amor e doação, ensinando-nos como colocar nossa vida a serviço dos irmãos e irmãs!
Celebremos com alegria o Natal que se aproxima, fazendo de nossa vida um cântico de louvor a Deus preparando nosso coração para receber o Menino Deus que quer fazer em nós sua morada. 
 
(Antes do Ato Penitencial)
 
Ao acender a 4ª vela do Advento
 
Refrão: Ó luz do Senhor, 
            que vem sobre a terra
            Clareia o universo, 
            com seu esplendor.
 
(uma pessoa da comunidade entra pelo corredor central trazendo uma vela acesa. Pára junto à coroa) – usar vela da crisma, enfeitada.
 
 
Padre:  O Senhor agora está mais próximo. Acendendo esta quarta vela, nós vos pedimos, ó Deus, que a luz da vossa graça sempre nos preceda e acompanhe para que, esperando ansiosamente a vinda daquele que a Virgem concebeu, nos seja dada a alegria de contemplar a realização das promessas do Vosso amor.
 
PRECES 
 
Padre: Caríssimos filhos e filhas, por intercessão de Maria, elevemos com confiança nossos pedidos ao Pai, rogando: R: Mãe de Deus intercedei por nós. 
 
1. Pela santa Igreja, para que a exemplo de Maria, saiba acolher e transmitir com amor a vontade de Deus a toda a humanidade, roguemos: 
 
2. Por nossa comunidade paroquial, para que seja uma morada digna para receber o Salvador que se aproxima, roguemos: 
 
3. Pelas nossas famílias, para que seguindo os passos da família de Nazaré, viva o amor, a entrega e a fidelidade entre seus membros, roguemos: 
 
4. Por todas as pessoas que sofrem no abandono e na solidão, para que o vazio de suas vidas seja preenchido pelo amor que brota do coração do Pai, roguemos: 
 
5. Pelos membros do ministério de leitores, que hoje foram investidos na missão de serem instrumentos da Palavra, para que o Senhor os conserve firmes neste “SIM” dado ao chamado feito por Deus, roguemos:
 
Padre: Pai de bondade, ouvi as preces desta vossa família que se prepara e espera com grande alegria a festa do Santo Natal, e ajudai-nos a preparar nosso coração e nossa alma para a chegada do Salvador. Por Cristo Nosso Senhor.