Sabado Santo - Vigilia Pascal (19 ABR 2014)

Webnode
12/01/2014 21:54
 

 

MISSA DA VIGILIA PASCAL

SABADO SANTO – A/B/C

 

Subsídios para preparar os comentários 

Liturgia da Semana Santa ciclo pascal ABC, Vozes, 1972

Nesta noite, estamos acordados para celebrar a Ressurreição de Jesus, que se torna o Senhor do Universo pela sua vitória sobre a morte. Abençoamos o fogo, luz que ilumina e nos faz ver – sinal de Cristo que se disse e é a “verdadeira luz do mundo”.

Cada vez que entrando na igreja virmos o Círio Pascal aceso solenemente ou de modo mais simples – como velas junto do altar, lembremo-nos do Cristo Ressuscitado. Nesta noite a luz renasce para guiar os nossos passos. Quando estivermos atravessando as lutas da vida e até mesmo a morte, lembremo-nos da vitória de Cristo e reanimemos nossa esperança. Ele está vivo e permanece vencedor do pecado através dos séculos.

 

Antes da procissão

Vamos seguir em procissão o Círio Pascal e nele acender as nossas lâmpadas. Cristo glorioso quer repartir a sua vida conosco e com todos os seus irmãos, pessoas humanas. Ele vai fazer de cada um dos seus seguidores luzes novas no mundo das trevas do pecado. As velas que se acendem têm seu brilho próprio, sem tirar nada da luz dos outros. Saibamos iluminar os outros, sem nos apagar nem querer apagar nada do clarão de nossos irmãos. A fé se transmite e clareia o caminho dos outros. A fé se expande de pessoa a pessoa e brilhará no meio das trevas fazendo todos verem o caminho da Ressurreição e da salvação.

Antes da Liturgia Batismal:

Cristo, com sua ressurreição, inaugura uma vida nova e se torna fonte de vida para todos os homens, que, crendo, recebem o batismo. A água em que se mergulha o círio aceso é sinal da luz que deve guiar a vida daqueles que professam sua fé em Cristo e aceitam viver como filhos da Igreja. 

 

Antes da Ladainha

Nas grandes circunstâncias de sua vida, a Igreja da terra gosta de tomar consciência da presença fraterna dos membros da Igreja dos céus, e sentir o apoio daqueles que nos precedem na participação plena da glória do Cristo ressuscitado.

 

Antes da Renovação das Promessas do batismo

Não é preciso renovar o batismo, mas o batismo deve fazer-nos viver dia a dia como ressuscitados com Cristo. A vida nova a que todos os cristãos são chamados exige da Igreja uma contínua lembrança do compromisso assumido e uma renovação contínua do propósito de seguir a Cristo. Assumamos o nosso batismo como se hoje nos tivéssemos convertido para a fé em Cristo Jesus. Ou a Igreja se torna sinal do evangelho vivo no mundo de hoje ou não estamos realizando a nossa missão de testemunhas da ressurreição. 

 

Liturgia Diária, abril 2009 e 2012.

Em comunhão com todas as comunidades cristãs e com todo o universo, reunimo-nos para celebrar a Páscoa de Jesus: sua passagem da morte para a vida. O grande anúncio desta noite é: JESUS RESSUSCITOU. Fazendo memória das ações maravilhosas de Deus na história da humanidade, renovamos nossa fé. A Vigília Pascal se realiza em quatro momentos: 1) celebração da luz; 2) liturgia da palavra; 3) liturgia batismal e 4) liturgia eucarística.

 

A Vigília Pascal inicia-se com a celebração da luz, que, por sua vez, contém três partes: a bênção do fogo, a procissão do Círio Pascal e o canto do Exulte. Acompanhemos com atenção esta primeira parte da nossa celebração. 

A liturgia proclama as grandes maravilhas que Deus realizou em favor do povo ao longo da história da humanidade, ainda hoje motivo de júbilo e de ação de graças. 

 

Antes da Liturgia batismal

Iniciemos a liturgia batismal, por meio da qual renovamos nosso compromisso batismal (e acolhemos os novos membros da comunidade- se houver batizado). O batizado assume o compromisso com uma vida nova, trazida por Cristo ressuscitado.

 

Antes da liturgia eucarística

A quarta parte da Vigília Pascal é formada pela liturgia eucarística. Vencendo o poder da morte, Jesus ressuscitou. Alimentando-nos com a eucaristia, renovamos e fortalecemos nosso compromisso com a vida.

 

CNBB – Roteiros para Celebrações – Quaresma e tríduo Pascal  

A noite pascal é o grande sacramento da vida cristã. Batismo e Eucaristia que são o centro da liturgia de hoje, tornam presentes e atuais os acontecimentos que celebramos, e nos comunicam a vida nova da ressurreição.

Nesta noite, somos iluminados e profundamente atingidos pela luz de Cristo ressuscitado. Fazendo memória das ações maravilhosas de Deus na história, renovamos nossa consagração batismal, pela qual somos conduzidos das trevas à luz admirável de Cristo. Celebramos a Páscoa de Jesus Cristo, “solenidade nova e universal, festa do coração, assembleia de toda a criação, alegria e honra do universo”. É a Páscoa da ressurreição.

 

Dia do Senhor, ciclo pascal ABC

Somos iluminados e profundamente tocados pela luz de Cristo ressuscitado. Fazendo a memória das maravilhas de Deus na história, renovamos nossa consagração ao Deus, que, pelo batismo, nos chamou das trevas às sua luz admirável. Assim renovados, participamos da ceia dos que foram ressuscitados com Cristo para uma vida nova.

Celebramos a páscoa de Jesus Cristo, “solenidade Nov a e universal, festa do coração, assembléia de toda a criação, alegria e honra do universo. 

 

Revista de Liturgia nr 230, mar/abr 2012

Celebrando o mistério de Cristo, que passa da morte à vida, damos graças ao Pai pelas maravilhas realizadas ao longo da história da salvação. A palavra e a força do ressuscitado nos iluminam para sermos testemunhas de vida nova através da fé e o amor solidário

A celebração da vigília é de uma riqueza extraordinária. Contém muitas ações, gestos simbólicos que expressam o mistério pascal: círio, luz, água, palavra proclamada, batismo, aspersão, renovação das promessas batismais, pão, vinho, partilha... Isto exige que os sinais e ações sejam verdadeiros para que realizem o que significam. 

 

(Modelo)

MISSA DA VIGILIA PASCAL

SABADO SANTO – A/B/C

Diácono Sérgio Ferreira de Almeida

 

Comentário Inicial 

            Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo! 

            (diz as intenções se houverem)           

A Vigília Pascal começa com a Celebração da Luz no pátio da igreja. Após a bênção do fogo e preparação do Círio Pascal, voltaremos à igreja em procissão pela porta principal. Pedimos que a entrada pela porta lateral seja deixada para utilização das pessoas que tem dificuldade de locomoção.

Por isso convidamos a todos a se dirigirem até o pátio.

 

Quando todos estiverem reunidos no pátio da igreja:

 

I - Liturgia da Luz – parte externa da igreja.

 

COM – Como vivemos até agora a Paixão e Morte de Jesus? Nesta noite, queremos celebrar a Ressurreição de Jesus, que se torna o Senhor do Universo pela sua vitória sobre a morte. Nossa vigília terá início com a Bênção do Fogo, luz que ilumina e nos faz ver, - sinal de Cristo que é a verdadeira Luz do Mundo.

            Cada vez que, entrando na Igreja, virmos o CÍRIO PASCAL aceso solenemente ou de modo mais simples, como velas junto do altar, lembremo-nos do Cristo Ressuscitado.

            Nesta noite, a luz renasce para guiar os nossos passos. Quando estivermos atravessando as lutas da vida e até mesmo a morte, lembremo-nos da vitória de Cristo e reanimemos nossa esperança. Ele está vivo e permanece vencedor do pecado através dos séculos.

            - Cristo é o CÍRIO PASCAL a nos transmitir a Luz da Fé

            - É a ÁGUA BATISMAL a nos lavar dos pecados

            - É o PÃO a fortalecer nossas vidas.

 

SAUDAÇÃO DO PRESIDENTE DA CELEBRAÇÃO

 

BENÇÃO DO FOGO

 

PREPARAÇÃO DO CÍRIO PASCAL

 

(O sacerdote acende o Círio Pascal com o fogo novo, dizendo):

 

SAC – A luz do Cristo que ressuscita resplandecente, dissipe as trevas do nosso coração e da nossa mente

 

PROCISSÃO COM O CÍRIO PASCAL 

COM – Vamos seguir em procissão o CÍRIO PASCAL. Cristo glorioso quer repartir a sua vida conosco e com todos os seus irmãos, pessoas humanas. Ele vai fazer de cada um dos seus seguidores, luzes novas no mundo das trevas do pecado.

            As velas que se acendem têm o seu brilho próprio, sem tirar nada da luz dos outros. Saibamos iluminar os outros sem nos apagar nem querer apagar nada do clarão de nossos irmãos. A Fé se transmite, e ilumina o caminho dos outros. A fé se expande de pessoa a pessoa e brilhará no meio das trevas, fazendo verem o caminho da Ressurreição e da Salvação.

O Diácono toma o Círio aceso, símbolo de Jesus Cristo, e o ergue por algum tempo, cantando:

 

DIAC - Eis a Luz de Cristo

TODOS – Demos graças a Deus.

 

Todos se dirigem para a igreja, precedidos pelo diácono com o Círio. O turiferário com o turíbulo aceso vai à frente do diácono.

           

À porta da igreja, o diácono, parando e erguendo o Círio, canta de novo:

 

DIAC – Eis a Luz de Cristo 

TODOS – Demos graças a Deus.

 

Obs: O missal recomenda: à porta da igreja, o diácono para e, erguendo o círio, canta pela segunda vez: Eis a Luz de Cristo. E todos respondem: Demos graças a Deus. Em seguida todos acendem suas velas no fogo do círio pascal e entram na igreja.

 

Sugestão: Se o nr de fiéis for muito grande, a equipe de celebração acende suas velas no círio e se posiciona junto aos bancos. Os fiéis entram e ocupam seus lugares. A equipe acende as velas dos fiéis.

 

O Diácono, ao chegar diante do altar, volta-se para o povo e canta pela terceira vez:

 

DIAC – Eis a Luz de Cristo

 

TODOS – Demos graças a Deus.

 

Obs: O Missal prescreve: Acendem-se então todas as luzes da igreja.

Porém, o documento Pontifício nr 224, de 1989 orienta que o Exulte deve ser cantado à luz do Círio e das velas acesas, em contraste com a escuridão, permanecendo ainda apagadas as lâmpadas elétricas.


 

            AS VELAS DO ALTAR FICAM APAGADAS ATÉ O CANTO DO GLÓRIA.

             

PROCLAMAÇÃO DA PÁSCOA 

Esta proclamação, se necessário, poderá ser feita por cantor que não seja diácono, que omitirá as palavras E vós, que estais aqui até o fim do convite, como também a saudação O Senhor esteja convosco.

           

Chegando ao altar o celebrante vai para a sua cadeira, enquanto o diácono coloca o Círio Pascal no candelabro junto à estante. O diácono pede a bênção e o celebrante o abençoa em voz baixa:

 

SAC   

            (O povo permanece de pé, com as velas acesas. O Diácono dirige-se à estante, incensa o Círio e o Missal, e proclama o louvor da Páscoa.)  

            Após a proclamação da Páscoa, apagam-se as velas e Acendem-se então todas as luzes da igreja

 

II - Liturgia da Palavra 

Apagando as velas sentam-se todos. E antes de começarem as leituras, o sacerdote dirige-se ao povo com estas palavras: (Cf. Missal Romano pag 279)

 

P – Meus irmãos e minhas irmãs, tendo iniciado solenemente esta vigília, ouçamos no recolhimento desta noite a Palavra de Deus.

Vejamos como ele salvou outrora o seu povo e neste últimos tempos enviou seu Filho como redentor.

Peçamos que o nosso Deus leve à plenitude a salvação inaugurada na Páscoa.

 

- Seguem-se as leituras

1a Leitura:       Gn 1,1 – 2,2 (utilizar a forma breve)

Salmo:            Sl 103/104

Oração:          Feita pelo Padre

 

2a Leitura:       Gn 22, 1-18 (utilizar a forma breve)

Salmo:            Sl 15/16

Oração:          Feita pelo Padre

 

3a Leitura:       Ex 14,15 – 15,1

Salmo:            Ex 15, 1-6.17-18

Oração:          Feita pelo Padre

 

4a Leitura:       Is 54, 5-14

Salmo:            Sl 29/30

Oração:          Feita pelo Padre

 

5a Leitura:       Is 55, 1-11

Salmo:            Is 12,2-6

Oração:          Feita pelo Padre

 

6a Leitura:       Br 3, 9-15.32 – 4,4

Salmo:            Sl 18/19

Oração:          Feita pelo Padre

 

7a Leitura:       Ez 36,16-17a.18-28

Salmo:            Sl 41/42

Oração:          Feita pelo Padre


 

Hino de Louvor

Logo após a oração da 7a.leitura.

 

Durante o canto de glória um Ministro da Sagrada Comunhão acenderá as velas do altar, a partir do Círio.

Durante o canto, tocam-se os sinos e entra a imagem do Cristo Ressuscitado.

 

Oração: Feita pelo Padre

 

8a Leitura:       Rm 6,3-11

- Terminada a leitura da carta aos romanos, todos se levantam e aclamam o Evangelho com o salmo 117/118. O salmista entoa solenemente o aleluia que todos repetem. Em seguida o salmista canta o salmo ao qual o povo responde com o Aleluia.

 

Salmo:            Sl 117/118

 

Evangelho: Mt 28,1-10

- não se levam velas, só o incenso

 

Homilia


 

III - Liturgia Batismal

O celebrante exorta o povo com estas palavras ou outras semelhantes:

SACIrmãos e irmãs, invoquemos sobre estas águas a graça de Deus Pai onipotente, para que em Cristo sejam reunidos aos filhos adotivos aqueles que renascerem pelo batismo.


 

Ladainha

 

COM – Nas grandes circunstâncias de sua vida, a Igreja da terra gosta de tomar consciência da presença fraterna dos membros da Igreja e dos céus, e sentir o apoio daqueles que nos precedem na participação plena da glória do Cristo ressuscitado.

            Por isso, cantemos agora a Ladainha de Todos os Santos.

- Com um gesto o comentarista convida o povo a ficar de pé (por ser tempo Pascal) para responder a Ladainha


 

BÊNÇÃO DA ÁGUA

 

COM – Cristo com sua ressurreição, inaugura uma vida nova e se torna fonte de vida para todos os homens que, crendo, recebem o batismo. A água em que se mergulha o Círio Pascal aceso, é sinal da luz que deve guiar a vida daqueles que professam sua Fé em Cristo e são aceitos como Filhos da Igreja.

- de mãos unidas, o sacerdote reza

SAC – ......

 

Deve ser cantado ao final da bênção, quando se retira o Círio da água, o refrão:

Fontes do Senhor, bendizei o Senhor

Louvai-o e exaltai-o para sempre!

 

            Após a bênção da água o Círio volta ao seu lugar no presbitério.

 

RENOVAÇÃO DAS PROMESSAS DO BATISMO

 

COM – A vida nova a que todos os cristãos batizados são chamados exige da Igreja uma contínua lembrança do compromisso assumido e uma renovação constante do propósito de seguir Cristo. A Vela com sua luz simboliza esta Fé que devemos manter acesa durante toda nossa vida. É preciso viver o nosso batismo como se hoje nos tivéssemos convertido para a Fé em Cristo Jesus. Ou nos tornamos sinal do Evangelho vivo no mundo de hoje, ou não estamos realizando a nossa missão de testemunhas da ressurreição.

            Nossas velas serão acesas a partir do Círio Pascal e renovaremos as nossas promessas. Para as três primeiras perguntas responderemos RENUNCIO e para as três seguintes que se referem a nossa fé, responderemos CREIO.

 

            - MECES acendem velas no Círio e levam até a assembleia.

            Após a renovação das promessas do batismo o celebrante asperge o povo com água benta, enquanto se canta: Banhados em Cristo, somos uma nova criatura ou outro canto próprio.


 

Preces: 

PRIrmãos e irmãs, na luz do Cristo Ressuscitado, e animados na Fé Batismal, elevemos ao Pai as nossas preces comunitárias, cantando:

 

- Ó SENHOR, ESCUTA NOSSA PRECE! 

  1. Por toda a Igreja, para que seja anunciadora da vitória de Cristo em todos os lugares através do anúncio e da vivência do Evangelho, rezemos ao Senhor

  2. Para que a solidariedade entre as famílias de nossa comunidade cresça a cada dia como sinal da fé no Cristo Ressuscitado, rezemos ao Senhor.

  3.  Pelas famílias cristãs para que a graça do Batismo transforme seus lares na primeira escola da vida e da fé, rezemos ao Senhor.

  4. Pelos nossos entes falecidos, para que Deus tenha misericórdia de suas almas e possam viver a ressurreição que vem de Cristo, rezemos ao Senhor:

  5.  Por todos nós aqui reunidos nesta noite santa, para que confiantes na vitória de Cristo sobre a morte, vivamos diariamente a alegria da Páscoa, rezemos ao Senhor: 

 

 

PR – Ó Deus, sabeis que a vida dos homens e das mulheres de hoje está sujeita a toda espécie de dificuldades; ouvi os desejos daqueles que vos suplicam e realizai os pedidos dos que creem em vós. Por Cristo, nosso Senhor.

 

R. Amém. 

 

IV - Liturgia Eucarística

 

            segue como de costume


 


 

Procissão com Jesus Ressuscitado

 

Após a oração pós comunhão o comentarista faz o comentário abaixo.

 

A procissão com o Cristo Ressuscitado que faremos é um testemunho pelas ruas de nossa comunidade. Com este testemunho queremos dizer a todos, que nós acreditamos na Ressurreição. Que Jesus venceu a morte e nós com Ele somos vitoriosos.

Pedimos às pessoas que aguardem em seus lugares a saída do Sacerdote, seus auxiliares e do coral para então acompanhá-los, retornando até a Igreja para receber a Solene Bênção da Páscoa.